Prefeitura do Rio entrega a Nova Transoeste com pista revitalizada e frota renovada – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

O BRT “amarelinho” – Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio entregou, neste sábado (09/12), a Nova Transoeste, que teve no total 59 quilômetros revitalizados, sendo 31 quilômetros de calha do BRT reconstruídos em concreto. O corredor passa a operar com 208 ônibus, dos quais 136 são novos veículos articulados, equipados com tecnologia sustentável Euro 6, além de 22 Euro 5 que já circulavam no trecho Jardim Oceânico x Alvorada e 50 ônibus padrons da nova frota. O início da operação dos “amarelinhos” no corredor Transoeste marca a renovação de 100% da frota do BRT em toda a cidade e decreta o fim da era dos veículos azuis.

A renovação, com 427 novos ônibus nos três corredores, representa um aumento de quase três vezes mais ônibus, se comparados aos 120 que atendiam os mesmos corredores em 2020, quando o sistema BRT estava completamente sucateado. A entrega representa mais um passo significativo para a reconstrução do modal, que após a entrada em operação do corredor Transbrasil vai totalizar mais de 600 ônibus em operação. Participaram da entrega o prefeito do Rio, Eduardo Paes; a secretária de Transportes, Maína Celidonio; a secretária de Infraestrutura, Jessick Trairi, e a diretora-presidente da MOBI-Rio, Claudia Secin.

– Esse foi o primeiro BRT, entregue em 2012 com muita qualidade, e ele mudou a vida de muita gente. Imaginar que quando voltamos ao governo em 2021 tinham apenas 120 ônibus para os três corredores é inaceitável. Hoje é um dia de muita alegria, poder devolver os três corredores. Na Transolímpica e na Transcarioca a vida já mudou, e agora muda para a população da Zona Oeste também, que recebe esse BRT com dignidade, com tempos menores, com mais conforto e segurança – disse o prefeito Eduardo Paes, lembrando que mais melhorias estão a caminho. – Em breve vamos ter Magarça, Curral Falso, Pingo D’água e Mato Alto, todos terminais novos. Então, chega de sofrimento. Até o início do ano que vem serão 600 ônibus no BRT, estamos com 427 já, nos três corredores existentes, e a Transbrasil está chegando aí também. Estamos tendo uma experiência positiva na Transcarioca e na Transolímpica. Mais do que punição, queremos a conscientização das pessoas. Isso aqui é dinheiro público, quem danifica um BRT está rasgando seu próprio dinheiro.

 

BRTs trafegam pela Nova Transoeste – Fabio Motta / Prefeitura do Rio

 

Concreto na nova calha da Transoeste

Com três terminais (Jardim Oceânico, Alvorada e Campo Grande) e 62 estações, a Transoeste conecta a Barra da Tijuca a Santa Cruz e a Campo Grande e foi inaugurada em 2012, como o primeiro corredor de BRT da cidade. A requalificação, executada pela Secretaria de Infraestrutura, recuperou a pista do corredor de BRT desde o Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, ao futuro Terminal Pingo D’Água, em Guaratiba, passando pelo túnel Vice-Presidente José Alencar, na Grota Funda. Ao todo foram utilizados 52.800 metros cúbicos de concreto, o que daria para encher 28 piscinas olímpicas. Os investimentos ultrapassaram os R$ 221 milhões, e as obras levaram 18 meses. Vale lembrar que, com a utilização da nova calha de concreto pelos ônibus “amarelinhos”, as pistas centrais onde circulam os demais veículos da Avenida das Américas receberão também um novo asfalto.

– Estamos devolvendo a calha do BRT da Transoeste novinha para a população do Rio de Janeiro. Esta obra vai gerar muito mais conforto, segurança e agilidade aos usuários do sistema BRT – afirmou a secretária de Infraestrutura, Jessick Trairi.

Durante a obra também foi construída uma passagem inferior no Terminal Recreio, possibilitando a interligação com a Transolímpica. Agora, a conexão da Transolímpica com a Transoeste será dentro do próprio terminal, eliminando a necessidade de travessia na Avenida das Américas e proporcionando mais conforto aos usuários.

 

Quatro estações estão sendo transformadas em terminais

Em 2024, serão entregues as obras de transformação de quatro estações do corredor em terminais: Mato Alto, Pingo D´Água, Curral Falso e Magarça. O investimento ultrapassa R$ 180 milhões. As obras estão a pleno vapor e preveem, além da expansão das antigas estações, a criação de passarelas de acesso às novas estruturas e aos terminais alimentadores, que farão a integração entre ônibus e vans com vias importantes. Também haverá melhorias viárias e de drenagem para aumentar a capacidade de escoamento de água.

Os quatro novos terminais vão ganhar grandes bicicletários, com 1.500 vagas no total. Eles serão amplos, para maior conforto do usuário. Por exemplo, o novo terminal Pingo D’Água terá 17 mil metros quadrados (hoje são apenas 2 mil metros quadrados). No terminal Curral Falso, a antiga estação de 300 metros quadrados está sendo demolida e dará lugar a uma estrutura 56 vezes maior, com 16 mil metros quadrados.

 

Mais ônibus, intervalos diminuídos em até 58% no corredor

O início da operação dos 136 novos articulados na Transoeste vai aumentar a oferta de lugares, e os intervalos entre os ônibus diminuirão de significativamente. Na linha 10 (Santa Cruz x Alvorada), por exemplo, o intervalo será reduzido em 58% nos horários de pico: de 12 para 5 minutos. Atualmente este corredor transporta em média 190 mil passageiros em dias úteis.

– Hoje completamos a reformulação do BRT. A partir de hoje não existe mais ônibus velho no BRT, só ônibus novo. A gente está entregando dignidade, qualidade de vida para esse passageiro, que agora vai viajar com ar-condicionado. E vai reduzir muito o tempo de espera nas estações – disse a secretária de Transportes, Maína Celidonio.

Os ônibus alugados que fazem o trecho Paciência x Recreio também serão substituídos por “amarelinhos” modelo padron. Os serviços “diretões” vão continuar, mas serão com ônibus articulados novos, com embarque e desembarque nas estações com conforto e segurança para os passageiros, nas linhas de BRT: 10 – Santa Cruz x Alvorada Direto; 12 – Pingo D’Água x Alvorada Direto; e 13 – Mato Alto x Alvorada Direto.

– Acabou o sufoco, começou o conforto. É isso o que a população pode esperar. Embora a Transoeste tenha sido o último corredor entregue com a frota nova, recebeu os melhores ônibus, o Euro 6, que equivale a quase três veículos de tamanho normal, e tem toda uma proposta ambiental, ele é muito menos poluente, tem vários mecanismos para, por exemplo, controle de velocidade, gasto de diesel – lembrou a diretora-presidente da MOBI-Rio, Claudia Seccin.

 

Sobre os novos ônibus Euro 6 da nova Transoeste

Os novos ônibus do BRT Transoeste estão equipados com a tecnologia sustentável Euro 6, o que reduz em até 80% a emissão de gases poluentes. O Rio de Janeiro tornou-se a primeira cidade brasileira a adquirir articulados compatíveis com a norma ambiental Proconve P-8, equivalente ao Euro 6. Este é um dos compromissos da Prefeitura do Rio com a sustentabilidade e a preocupação em promover soluções para as questões ambientais. Ao todo, foram comprados 337 articulados Euro 6, com a previsão de entrega gradual até o fim de maio de 2024.

Além da redução de poluentes, os ônibus contam com moderna tecnologia e são equipados com telemetria para análise de desempenho. Há interação com o usuário (microfone ambiente, painel de mensagens aos usuários que alertam sobre as próximas estações e alto-falantes), câmeras, portas reforçadas, aviso sonoro de fechamento das portas de embarque e desembarque, sistema de bloqueio de porta que impede o movimento do ônibus enquanto as portas estiverem abertas, cabine segregada para o motorista, painel de temperatura, área reservada a pessoas com deficiência e tomadas USB, entre outros itens.

 

Investimento de quase R$ 2 bilhões

Para fomentar a recuperação do Sistema BRT, a Prefeitura do Rio tem investido quase R$ 2 bilhões em parceria com o Governo Federal, que já possibilitaram a compra dos novos ônibus, a requalificação do corredor Transoeste e a construção de terminais e garagens públicas. Os investimentos foram adquiridos por meio de operações de crédito com o Banco do Brasil, no valor de R$ 1,2 bilhão, e com a Caixa Econômica Federal, de R$ 645,9 milhões.

A previsão é que todo o Sistema BRT esteja em pleno funcionamento no primeiro semestre de 2024. Somando os quatro corredores (Transoeste, Transcarioca, Transolímpica e Transbrasil), serão 140 estações, 15 terminais e quase 150 quilômetros interligando Zona Oeste, região da Barra da Tijuca, Zona Norte e Centro.

 

Reconstrução do transporte público carioca

No final de 2016, o sistema BRT dispunha de cerca de 400 articulados circulando nos três corredores: Transcarioca, Transolímpica e Transoeste e no início de 2021, este número não passava de 120, sendo que a maioria estava em estado extremamente precário. Além disso, 46 estações se encontravam fechadas.

Com objetivo de resgatar a eficiência do sistema e devolver uma boa prestação de serviço aos usuários, a Prefeitura decidiu assumir a operação do BRT, que estava nas mãos da iniciativa privada. Em março de 2021 ocorreu a intervenção do sistema e, em fevereiro de 2022, foi decretada a caducidade do contrato de concessão, em função do descumprimento por parte dos concessionários de obrigações contratuais de prestação de um serviço de transporte público adequado. A MOBI-Rio, empresa pública municipal, passou a ser responsável pela operação do BRT.

Sob a gestão da Prefeitura, todas as estações foram reformadas e reabertas e, para renovar a frota, houve a compra de novos ônibus. Desde que a Prefeitura assumiu o sistema, em 2021, a média diária de passageiros transportados aumentou de 150 mil para cerca de 360 mil (pagantes + gratuidades).

A reconstrução do transporte público carioca inclui ainda a implantação gradual do Jaé, novo sistema de bilhetagem digital, nos modais de transporte público coletivo regulados pelo município. Outro destaque é o acordo judicial firmado entre a Prefeitura do Rio, o Ministério Público Estadual e os consórcios operadores de ônibus, que possibilitou a retomada de 85 linhas de ônibus na cidade. Este reforço na operação representa a reativação de mais de 630 pontos de ônibus em 18 bairros.

 

Sobre a nova Transoeste 

-O corredor é formado por três terminais (Jardim Oceânico, Alvorada e Campo Grande) e 62 estações, que conecta a Barra da Tijuca a Santa Cruz e a Campo Grande.

-59 quilômetros revitalizados.

-31 quilômetros de calha do BRT reconstruídos em concreto. Foram utilizados 52.800 metros cúbicos de concreto, o que daria para encher 28 piscinas olímpicas.

-Fim dos ônibus azuis e renovação em 100% da frota.

-Total de 208 ônibus em operação em todo o corredor. Os 136 novos ônibus articulados com tecnologia sustentável Euro 6 se somam aos 50 ônibus padron e 22 articulados Euro 5 que já estavam em circulação.

-427 novos ônibus passam a circular por todos os corredores de BRT: Transoeste, Transolímpica e Transcarioca. Aumento superior a três vezes se comparado aos 120 articulados encontrados em operação em 2021.

-Mais de 600 ônibus vão estar em operação com a inauguração da Transbrasil no início do próximo ano.

 

Operação da Nova Transoeste

-Os ônibus Euro 6 do BRT Transoeste estão equipados com a tecnologia sustentável, o que reduz em até 80% a emissão de gases poluentes. O Rio de Janeiro tornou-se a primeira cidade brasileira a adquirir articulados compatíveis com a norma ambiental Proconve P-8, equivalente ao Euro 6.

-Com a nova frota, os intervalos serão menores. Na linha 10 (Santa Cruz x Alvorada), por exemplo, o intervalo será reduzido em 58% nos horários de pico: de 12 para 5 minutos. Atualmente este corredor transporta em média 190 mil passageiros em dias úteis.

-Os ônibus alugados serão devolvidos e o trecho Paciência x Recreio será feito pelos novos amarelinhos padron.

-Os serviços “diretões” vão continuar e serão feitos por ônibus articulados. E o embarque e desembarque passam a ocorrer diretamente nas estações e nas linhas de BRT: 10 – Santa Cruz x Alvorada Direto; 12 – Pingo D’Água x Alvorada Direto; e 13 – Mato Alto x Alvorada Direto.

-A partir de agora, a Transoeste passa a ser interligada à Transolímpica, após a construção de uma passagem inferior no Terminal Recreio. A conexão ocorrerá no próprio terminal, sem a necessidade de travessia na Avenida das Américas.

 

Próximas etapas

-Em 2024, serão entregues as obras de transformação de quatro estações do corredor em terminais: Mato Alto, Pingo D´Água, Curral Falso e Magarça.

-Somando os quatro corredores (Transoeste, Transcarioca, Transolímpica e Transbrasil), serão 140 estações, 15 terminais e quase 150 quilômetros interligando Zona Oeste, região da Barra da Tijuca, Zona Norte e Centro.

-O sistema BRT estará em pleno funcionamento no primeiro semestre de 2024.

Categoria:

  • 9 de dezembro de 2023
  • Marcações: BRT Infraestrutura MOBI-Rio mobilidade Transbrasil Transcarioca Transoeste Transolímpica Transportes

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *